domingo, 25 de abril de 2010

Abhisit na Televisão

O Primeiro Ministro veio à Televisão, como o faz todos os Domingos, para nada dizer, ou seja para ecoar aquilo que já se sabia. A sua intervenção foi cortada por momentos na estação NBT e o governo está neste momento a investigar o incidente.

Não à proposta da UDD, que ele diz não saber se é genuína, e usando os argumentos que já ontem relatei. Nem sequer viu que as agências noticiosas internacionais e os principais jornais e televisões que relatam com meios próprios, punham sempre em título, quando se referiam à situação no país, " PM rejeita proposta dos camisas vermelhas". Depois Abhisit disse continuar a aceitar uma solução política apara a crise mas não avançou com nada de novo sobre o ques empre disse. Dissolução em 9 meses e depois eleições, ou seja 1 ano.

Aliás a presença matinal foi gravada ontem como todas as preparações que uma acção de propaganda requerem

O principal objectivo não foi o interesse imediato de encontrar uma solução para o país mas tentar mostrar que Abhisit e Anupong estão de boas relações, o que as palavras do General desmentem diáriamente.

Aliás Anupong desde há três anos que é assim portanto nada de novo. Diz sempre nim, ou seja disse que o exército está apto e unido para ajudar a polícia a dispersar os manifestantes. Reconheceu haver alguma divisões e que houve militares no activo e já reformados envolvidos nos dois incidentes, dias 10 e 22, mas as divisões são casos isolados.

Abhisit foi mais longe ao acusar o general Chavalit, um dos militares na Tailândia que serviu o país em práticamente todos os postos, de estar envolvido nas acções dos vermelhos. Como o PM sempre as apelida de acções terroristas presume-se que estará a chamar ao velho, quase 78, general um terrorista.

A única opação deixada por Abhisit terá sido o uso da força já que a sua proposta em nada diverge da sempre apresentada e que é sabido a UDD não aceita. Logo se verá o que irá fazer Anupong, ou seja, para utilizar as suas palavras, o que vai dizer "se o PM lhe pedir para levar a cabo uma acção ilegal".

2 comentários:

On d move disse...

Desde cerca das 10:00, o exercito e a policia colocaram cerca de 150 soldados e policias armados, no cruzamento da Sukumvit Road com o Soi 22. Um pouco mais adiante, na entrada para o Soi 31 estão estacionados cerca de 100 policias ( com um fardamento azul escuro, sem armas). A área é patrulhada por um helicoptero. O Soi 22 faz a ligação entre Rama IV e a Sukumvit.

Nuno Caldeira da Silva disse...

Isso deveu-se, concerteza, ao facto de a UDD ter anuciado que uma coluna de 500 Reds iria até Sukhinvit 31 casa de Abhisit